Politica - 10/11/2005 - 08:28:29

 

Fontes do Caso Cuba depõem hoje na CPI dos Bingos

Fontes do Caso Cuba depõem hoje na CPI dos Bingos

 

Da Redação com agências

Foto(s): Divulgação / Arquivo

 


As duas fontes das denúncias do Caso Cuba citadas pela revista Veja depõem hoje na CPI dos Bingos. Rogério Buratti e Vladmir Poleto, que trabalharam com o ministro Antonio Palocci na prefeitura de Ribeirão Preto (SP), falarão sobre suposto envio de dólares do governo cubano para o Brasil, destinados a pagar despesas da campanha do presidente Luiz Inácio Lula da Silva em 2002.Poleto e Buratti afirmam terem ouvido de outro ex-colaborador de Palocci, já falecido - Ralf Barquete, morto de câncer em 2004 - que, em 2002, Cuba remeteu ao País uma alta soma em dólares para o PT. Garantindo nunca ter visto o dinheiro, Poleto diz ter viajado de avião, no ano das eleições, levando três caixas de papelão desde Brasília até Campinas (SP). As caixas conteriam US$ 1,4 milhão. Buratti confirma a história, citando também Barquete - mas garante que o valor era de US$ 3 milhões. O Caso Cuba não será o única tema a ser abordado pelos dois depoentes. Buratti, que já falou ao Ministério Público e depôs anteriormente no Congresso, deverá discorrer sobre acusações envolvendo diretamente o ministro da Fazenda, referentes ao segundo mandato como prefeito de Ribeirão. Buratti acusou Palocci de operar esquema de fraude e superfaturamento em conjunto com a empreiteira Leão Leão, especificamente em contratos de coleta de lixo na cidade. Segundo Buratti, Palocci recebia cerca de R$ 50 mil por mês e repassava o dinheiro diretamente ao Diretório Nacional do PT. O desvio de verbas se daria por meio de esquema de notas frias e contratação de serviços fictícios. Buratti foi vice-presidente da Leão Leão. Já Poleto, ex-auditor e ex-diretor do Departamento de Contadoria Geral da Secretaria da Fazenda de Ribeirão Preto de 2001 e 2003, está diretamente ligado a outras três denúncias de irregularidades envolvendo a gestão de Palocci na cidade paulista: licitação de molho de tomate, contratação do Instituto Curitiba de Informática (ICI) e pagamento de indenizações de ex-proprietários de linhas telefônicas. No caso do molho de tomate, a polêmica gira em torno da licitação realizada pela prefeitura em 2002, da qual Poleto participou e que solicitava a compra de molho de tomate com ervilhas para cada uma das 41.787 cestas básicas distribuídas mensalmente pelo município. O contrato, com custo de R$ 1,25 milhão, solicitava produto produzido por uma única empresa, sediada no Rio Grande do Sul. No episódio referente às indenizações, Poleto é acusado por funcionários da Secretaria Municipal da Fazenda de duplicidade de contratos, que previam o pagamento de R$ 600 a ex-clientes da Centrais Telefônicas de Ribeirão Preto S.A. (Ceterp). Teriam sido desviados R$ 24 milhões. Poleto também está no centro das denúncias quanto ao contrato de R$ 3 milhões efetuado com o ICI, sem licitação. O órgão foi contratado para efetuar a modernização no sistema de arrecadação tributária, mas o serviço teve de ser totalmente refeito devido a uma série de erros que motivaram distorções na cobrança de IPTU. Outros depoimentos O Terra transmite ao vivo, em vídeo, nesta quinta-feira, 10 de novembro, os depoimentos de Rogério Tolentino, sócio do empresário Marcos Valério Fernandes de Souza, e Fernanda Karina Somaggio, ex-secretária de Valério, no processo do deputado José Mentor (PT-SP) no Conselho de Ética da Câmara. Os internautas poderão acompanhar minuto a minuto, com imagens direto de Brasília. O depoimento está marcado para 10h. ;

Links
.
.
Vídeo


Últimas Notícias




Orlando Morando é reeleito em 1º turno com 67,28% dos votos válidos


Orlando Morando está na frente na disputa em São Bernardo com 40%


Bolsonaro oficializa indicação de Kassio Nunes ao STF


São Bernardo inaugura 1ª Fábrica de Cultura 4.0 do Estado de São Paulo em lugar do "Museu do Lula"


Candidatura à reeleição de Orlando Morando e Marcelo Lima é oficializada em São Bernardo


Sabesp implanta novo sistema para melhorar atendimento ao consumidor